Cirurgias Estéticas > Corpo
corpo

Abdominoplastia - Mini


veja o vídeo

A abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal é um dos procedimentos mais realizados em cirurgia plástica. Em geral, fatores como gestações múltiplas e genética contribuem para o desenvolvimento de frouxidão na pele, depósitos de gordura e marcas de distensão na região abdominal. Mesmo a perda de peso substancial pode contribuir para o desenvolvimento de frouxidão da pele abdominal. Como estas áreas não respondem a dieta e rotina de atividades físicas, o abdome assume tamanho desproporcional em relação ao restante do organismo.




Indicações

A mini-abdominoplastia não deve ser considerada como tratamento de obesidade, ou substituto de dietas e exercícios físicos. Candidatos a mini-abdominoplastia devem ser saudáveis e relativamente em forma. Gestações futuras e alterações substanciais do peso após abdominoplastia, bem como a presença de cicatrizes de cirurgias anteriores, podem reduzir a eficácia e longevidade do tratamento.

A mini-abdominoplastia remove a frouxidão de pele, depósitos de gordura e marcas de distensão da região abdominal. Além disso, músculos abdominais verticais distendidos e enfraquecidos com o passar do tempo são reforçados, restabelecendo a aparência de um abdome firme e plano. Está indicada em pacientes com sobras cutâneas menores e localizadas principalmente abaixo da cicatriz umbilical.

Procedimento Cirúrgico

Diferente da abdominoplastia clássica, a mini-abdominoplastia requer, geralmente, incisão simples. Isso se deve ao fato do procedimento de redução parcial do abdome preservar o umbigo sem a incisão ao seu redor. O cirurgião faz uma incisão logo acima da região pubiana. Embora a incisão seja mais curta do que a incisão em uma redução total de abdome, sua extensão e forma dependem da extensão do tratamento, bem como os contornos corporais. Alguns cirurgiões tentam posicionar a incisão em local coberto por roupas de banho, ou roupas íntimas. É importante notar que a cicatriz é permanente.

A mini-abdominoplastia deve ser sempre realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral ou peridural combinada a uma sedação. Sua duração pode variar dependendo da extensão de tecido a ser removido ou a necessidade de procedimentos adicionais como a lipoaspiração. Entretanto, a maioria das mini- abdominoplastias dura aproximadamente de 2 a 3 horas.

Pós-operatório

A alta hospitalar costuma ser dada 24hs após o procedimento. Para evitar a formação de líquido durante o processo de cicatrização, são colocados drenos no abdome que permanecem no local por aproximadamente 3 a 5 dias. Neste período a paciente deve permanecer em casa com atividades leves, e embora não seja possível ficar em posição completamente ereta, de pé, é importante iniciar caminhadas por

curtos intervalos logo após o procedimento para facilitar o fluxo sanguíneo. Os pontos são retirados até o 10˚ dia e atividades como dirigir automóveis estão liberadas entre 2 e 3 semanas e exercícios físicos após 2 meses. Durante este período a paciente deverá usar cinta modeladora para melhorar a aderência dos tecidos e redução do edema. A drenagem linfática geralmente é indicada desde o início para acelerar a recuperação e resultado final, que geralmente é obtido após 3 meses, com melhora da postura e qualidade de vida.

Abdominoplastia Clássica


veja o vídeo

A abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal é um dos procedimentos mais realizados em cirurgia plástica. Em geral, fatores como gestações múltiplas e genética contribuem para o desenvolvimento de frouxidão na pele, depósitos de gordura e marcas de distensão na região abdominal. Mesmo a perda de peso substancial pode contribuir para o desenvolvimento de frouxidão da pele abdominal. Como estas áreas não respondem a dieta e rotina de atividades físicas, o abdome assume tamanho desproporcional em relação ao restante do organismo.



Indicações

A abdominoplastia não deve ser considerada como tratamento de obesidade, ou substituto de dietas e exercícios físicos. Candidatos a abdominoplastia devem ser saudáveis e relativamente em forma. Gestações futuras e alterações substanciais do peso após abdominoplastia, bem como a presença de cicatrizes de cirurgias anteriores, podem reduzir a eficácia e longevidade do tratamento.

A abdominoplastia remove a frouxidão de pele, depósitos de gordura e marcas de distensão da região abdominal. Além disso, músculos abdominais verticais distendidos e enfraquecidos com o passar do tempo são reforçados, restabelecendo a aparência de um abdome firme e plano. O procedimento de abdominoplastia pode ser realizado isoladamente, mas geralmente é associado à lipoaspiração, com melhores resultados e melhor contorno corporal.

Procedimento Cirúrgico

A abdominoplastia deve ser sempre realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral ou peridural combinada a uma sedação. A duração da abdominoplastia pode variar dependendo da extensão de tecido a ser removido ou a necessidade de procedimentos adicionais como a lipoaspiração. Entretanto, a maioria das abdominoplastias dura aproximadamente de 2 a 5 horas.

A extensão da incisão e sua forma dependem da extensão do tratamento, bem como os contornos corporais. Geralmente em forma de arco acima do púbis, extendendo-se para as laterais, o cirurgião tentará posicionar a incisão em local coberto por roupas de banho ou roupas íntimas.

Pós-operatório

A alta hospitalar costuma ser dada 24hs após o procedimento. Para evitar a formação de líquido durante o processo de cicatrização, são colocados drenos no abdome que permanecem no local por aproximadamente 3 a 5 dias. Neste período a paciente deve permanecer em casa com atividades leves, e embora não seja possível ficar em posição completamente ereta, de pé, é importante iniciar caminhadas por curtos intervalos logo após o procedimento para facilitar o fluxo sanguíneo. Os pontos são retirados até o 10˚ dia e atividades como dirigir automóveis estão liberadas entre 2 e 3 semanas e exercícios físicos após 2 meses. Durante este período a paciente deverá usar cinta modeladora para melhorar a aderência dos tecidos e redução do edema. A drenagem linfática geralmente é indicada desde o início para acelerar a recuperação e resultado final, que geralmente é obtido após 3 meses, com melhora da postura e qualidade de vida.

Lipoaspiração


A lipoaspiração, também conhecida como lipoplastia, é um dos procedimentos mais comuns em cirurgia plástica. Em geral, desenvolvem-se depósitos de gordura em diversas regiões do organismo, regiões de acúmulo persistente mesmo após rotina de exercícios físicos e dietas adequadas, contribuindo para a aparência desproporcional do contorno. A lipoaspiração atua removendo o excesso de tecido adiposo, com retorno do contorno e criando aparência mais emagrecida.



Indicações

A lipoaspiração pode ser realizada isoladamente, ou em associação a outros procedimentos para redução do abdome, flancos, dorso, braços, coxas. ou qualquer outa região com acúmulo adiposo. A lipoaspiração não é um tratamento eficaz para celulite ou obesidade. Indivíduos submetidos à lipoaspiração devem ser saudáveis e relativamente magros, com pele firme, elástica e bom tônus muscular, e apenas 30% acima de seu peso ideal.

Procedimento Cirúrgico

A lipoaspiração deve ser sempre realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral ou peridural combinada a uma sedação. A duração da lipoaspiração pode variar entre 1 a 3 horas dependendo da extensão e técnica empregadas.

O cirurgião pode fazer incisões em locais alternativos, dependendo do local procedimento. As cicatrizes são geralmente escondidas nos contornos do corpo. Antes de remover a gordura, injeta-se líquido na área a ser tratada através de um dispositivo com orifício denominado cânula. A solução, composta de solução salina, lidocaína e epinefrina, auxilia a anestesiar a área tratada, controla a perda sanguínea e facilita a remoção da gordura.

Pós-operatório

A alta hospitalar costuma ser dada 24hs após o procedimento. Pode haver dor, aumento de volume, e pequenos ferimentos após o procedimento. O médico pode sugerir o uso de malhas ou roupas compressivas por 2 a 6 semanas, parte importante do processo de recuperação. As malhas de compressão controlam o edema prevenindo o acúmulo de líquido na área tratada e também auxiliam a pele a assumir seu

novo contorno. A drenagem linfática geralmente é indicada desde o início para acelerar a recuperação e resultado final.

É possível retornar ao trabalho em poucos dias e retomar as atividades normais em aproximadamente uma ou duas semanas. Nota-se melhora da aparência logo após cirurgia. Melhora ainda maior pode ser observada de 4 a 6 semanas após o procedimento, com redução do edema. Os resultados finais serão notados em aproximadamente 3 meses. Embora as células de gordura são removidas permanentemente da área tratada com o procedimento, é importante notar que a lipoaspiração não previne ganho de peso. Para manter os resultados do procedimento, é importante ter hábitos saudáveis de dieta e atividade física.

Lipoenxertia Glútea


Para aqueles que gostariam de diminuir a gordura indesejada em áreas específicas do corpo e ao mesmo tempo recuperar ou adicionar volume em outras áreas do corpo, a lipoenxertia pode melhorar os contornos do corpo e revitalizar a aparência geral. Um procedimento de lipoenxertia funciona através da remoção do excesso de gordura indesejada, através de lipoaspiração, e injeção em áreas do corpo onde o rejuvenescimento é desejado. O rosto, as mamas e nádegas são três áreas comuns que podem ser revitalizadas usando injeções de gordura.



Indicações

A perda de peso, envelhecimento e hereditariedade podem ser as causas para ser infeliz com o tamanho e a forma de suas nádegas. Um aumento de nádega utilizando a transferência de gordura pode ajudar a adicionar volume e criar uma aparência mais jovem.

Procedimento Cirúrgico

A lipoenxertia deve ser sempre realizada em ambiente hospitalar, sob anestesia geral ou peridural combinada a uma sedação. A duração da lipoenxertia pode variar entre 1 a 3 horas dependendo da extensão e técnica empregadas.

O seu cirurgião irá marcar cuidadosamente as áreas onde a gordura será removida, e as áreas onde a gordura será injetada. Estas marcações serão usadas como guias durante o procedimento. Seu cirurgião começará o procedimento usando a lipoaspiração para retirar sua gordura e em seguida, as células de gordura não danificadas que foram removidas são isoladas, purificadas, e preparadas para ser injetadas nas nádegas. Usando um movimento para a frente e para trás, a gordura é lentamente adicionada em várias áreas até que o volume desejado seja alcançado.

Pós-operatório

A alta hospitalar costuma ser dada 24hs após o procedimento. Pode haver dor, aumento de volume, e pequenos ferimentos após o procedimento. O médico pode sugerir o uso de malhas ou roupas compressivas por 2 a 6 semanas, parte importante do processo de recuperação. As malhas de compressão controlam o edema prevenindo o acúmulo de líquido na área tratada e também auxiliam a pele a assumir seu novo contorno. A drenagem linfática geralmente é indicada desde o início para acelerar a recuperação e resultado final.

É possível retornar ao trabalho em poucos dias e retomar as atividades normais em aproximadamente uma ou duas semanas. Nota-se melhora da aparência logo após cirurgia. Melhora ainda maior pode ser observada de 4 a 6 semanas após o procedimento, com redução do edema. Os resultados finais serão notados em aproximadamente 3 meses pois as celulas de gordura enxertadas podem sofrer algum grau de reabsorção.

Braquioplastia

Suspensão das coxas