Notícias
  • Publicado em:19/06/2018

Quando se trata de cirurgia plástica, a grande maioria das pessoas preocupa-se com fatores como a técnica que será utilizada, os resultados que serão obtidos e quanto tempo de recuperação será necessário. Porém, ao contrário do que muitos pensam, a segurança e o sucesso do procedimento não dependem apenas do médico, da operação e do pós-operatório, sendo o período pré-operatório também de extrema importância para evitar problemas durante e depois da cirurgia.

Para ajudar nessa fase tão delicada, a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, apontou os principais cuidados que devem ser tomados. Confira:

Pare de fumar: Um dos principais cuidados pré-operatórios é parar de fumar por pelo menos 30 dias antes da cirurgia. Isso por que o cigarro é um agressor do sistema respiratório e suas toxinas, como a nicotina, interferem na circulação e na oxigenação do sangue, trazendo riscos ao paciente que realizará o procedimento. Dessa forma, fumar antes da operação pode afetar o processo de cicatrização e aumentar o risco de trombose, embolia pulmonar, necrose de tecidos.

Converse com seu médico: Utilize as consultas antes da cirurgia para tirar todas as dúvidas sobre o procedimento com o seu médico. Pergunte sobre o tipo de anestesia, o tempo da cirurgia, se é necessário internação, como será o pós-operatório, quais são os riscos do procedimento, como serão as cicatrizes e quais os resultados esperados. Além disso, comunique seu médico sobre qualquer tipo de alergias ou doenças que você tenha e medicamentos que você use.

Realize todos os exames solicitados pelo médico: Os exames pré-operatórios são fundamentais para determinar se você está saudável o suficiente para se submeter a uma cirurgia e para avaliar quais sãos os seus fatores de risco. Estes exames, que possuem a validade de seis meses, variam de acordo com o tipo de cirurgia que será realizada, mas alguns são quase obrigatórios, como o coagulograma, para determinar a capacidade de coagulação do organismo, a glicemia, que avaliar a quantidade de açúcar no sangue, e o hemograma, para comprovar a ausência infecções, inflamações e doenças como anemia, além de avaliação cardiológica

Pare o uso de certos medicamentos: Remédios derivados do ácido acetil salicílico, como a aspirina e o AAS, não devem ser usados nas semanas que antecedem a cirurgia, pois prejudicam a coagulação e aumentam o risco do aparecimento de hematomas e sangramentos. Além disso, alguns medicamentos considerados naturais também podem aumentar o risco de sangramentos, como ginko biloba, ômega-3 e arnica.

Fique em jejum no dia anterior a cirurgia: O tempo de jejum é determinado pelo médico, sendo necessárias 8 horas sem ingerir qualquer tipo de bebida ou alimento antes da cirurgia para evitar risco de aspiração do conteúdo gástrico para os pulmões.

Segundo a Dra. Beatriz Lassance, é importante também que você mantenha hábitos de vida saudável, tanto para evitar complicações na hora da cirurgia, quanto para ajudar na manutenção dos resultados. Por exemplo, você deve adotar uma alimentação balanceada e rica em vitaminas, sais minerais e proteínas, pois a falta de nutrientes pode atrapalhar a cicatrização e até facilitar sangramentos.

O açúcar é inflamatório, por isso é recomendado também diminuir o consumo de carboidratos duas semanas antes da cirurgia. Assim que liberado, também é muito importante que o paciente tenha uma rotina de exercícios físicos para adoção de uma vida mais saudável. “Porém, o mais importante é que você compareça a todas as consultas com seu médico e siga fielmente todas as recomendações dele, pois apenas um profissional especializado poderá avaliar o seu caso e indicar os melhores cuidados para você”, finaliza.