Notícias
  • Publicado em:14/12/2018

Devido a uma pré-disposição genética ou até mesmo por conta da localização do feto dentro da barriga da mãe, pode ser que o bebe nasça com algum tipo de deformidade na orelha. Este tipo de deformidade pode ser tratado.

As famosas orelhas de abano podem ser detectadas logo após o nascimento da criança. Por isso, é essencial ficar atento a tudo para que este pequeno detalhe possa ser resolvido com uma intervenção.

Uma equipe de estudiosos americanos desenvolveu uma técnica para que a criança possa ter a orelha com as deformidades curadas ou amenizadas. Com um pequeno molde, é possível conseguir resultados incríveis.

Estudos de universidades renomadas mostram que cerca de 15 a 29% todos os recém-nascidos apresentam algum tipo de deformidade na orelha. A longo prazo, o tratamento destes problemas poderá ser mais complicado do que durante a infância.

Os problemas com deformidades em orelhas de recém nascidos podem se resolver sozinhos, em até 30% dos casos. Mas, como não conseguimos prever quem resolverá sozinho ou não e como só devemos intervir no primeiro mês de vida (enquanto a cartilagem da orelha ainda é mole), esperar tem um risco grande de insucesso. Recomenda-se aguardar a primeira semana de vida. Caso após este período a deformidade não regredir, opta-se por agir e tratar ativamente a deformidade.

As vezes vale a pena fazer um investimento enquanto o bebê ainda é pequeno para que depois o problema seja evitado. Depois que a criança crescer, o processo cirúrgico é muito mais complicado e exige tempo de repouso. Caso o bebê não seja tratado ainda no primeiro mês, cirurgias só poderão ser feitas a partir dos 5 a 7 anos de idade.?

QUAL É A SOLUÇÃO?

A melhor solução para o problema e justamente um sistema de moldes que faz com que a orelha da criança volte a ter as suas proporções corretas e não sofra com procedimentos cirúrgicos muito complexos.?

COMO FUNCIONA O MOLDE PARA AS ORELHAS DOS RECÉM NASCIDOS?

Funciona de forma muito simples. Ele modifica a cartilagem da criança no primeiro mês de vida, já que neste momento ela ainda está muito mole e consegue se modificar com maior rapidez e facilidade.

Quando a criança nasce, demora bastante tempo para que as cartilagens sejam solidificadas. Por isso, o sistema de moldes é tão eficaz e faz com que os resultados sejam incríveis.?

SISTEMA EARWELL ™
Os sistema de moldes para as orelhas são conhecidos e chamados de EarWell ™. Com moldes de silicone altamente desenvolvidos por especialistas, este tipo de tratamento faz com que os resultados sejam muito rápidos e nem um pouco dolorosos. Antes deste sistema, utilizava-se gesso para modelar as cartilagens, algo pouco aceito pelos pais e de difícil manejo na limpeza.

O silicone é o material mais inerte ao corpo humano e, maleável, consegue atingir os resultados propostos. Assim. Não há poucos riscos de alergias nos recém nascidos e também á uma aceitação muito grande nos pequenos.

Todo o preparo deste material é altamente acompanhado e recebe a devida atenção de quem a produz. Desenvolvida nos EUA em 2010 na Universidade do Texas (Southwestern Medical Center), e aprovada nos EUA pela Food and Drug Administration (FDA). Esta técnica já mudou a vida de milhares de crianças, transformando a maneira como elas se relacionam com a própria aparência.?

QUANTO TEMPO DURA O TRATAMENTO?
O tratamento dura um período de 4 a 6 semanas, tudo depende de quanto tempo faz que a criança nasceu. Ao analisar cada uma das situações, eu observo a orelha do bebê e posso fazer o acompanhamento especializado.

Recém nascidos vistos ao nascimento com deformidades auriculares devem ser avaliados após 5 a 7 dias do nascimento. Se as deformidades não melhorarem, a moldagem da orelha é iniciada.

Se as orelhas forem melhorando naturalmente, apenas se observa. Em um subgrupo de crianças que tiveram alguma melhoria, a observação é continuada na segunda semana. Se a correção espontânea não foi observada no fim desta semana, começa-se a modelagem da orelha.

O dispositivo é acoplado o mais breve possível e fica por 4 a 6 semanas, sendo trocado a cada 2 semanas.

Geralmente, com um tratamento de 4 semanas, é suficiente para que a criança apresente uma melhora significativa. Isso acontece por que com a diminuição nos níveis de estrogênio, a criança irá solidificar a cartilagem da orelha no molde pré preparado pelo médico.