Notícias
  • Publicado em:02/06/2016

Os cirurgiões dividem a face em três regiões, também chamadas de três terços: o superior, o médio e o inferior. O superior é a região que vai da raiz do cabelo até a linha das sobrancelhas; o médio é limitado pela linha subnasal, englobando os olhos, o nariz, as bochechas e as orelhas; e o inferior vai da linha subnasal até o queixo.

Há procedimentos diferentes indicados para cada uma dessas regiões, porém é importante entender que o lifting facial, por definição, aborda a face no geral, pois é um procedimento que visa promover o reposicionamento da pele e das camadas musculares profundas, minimizando os sinais de envelhecimento no rosto.

Isso porque o lifting facial é indicado para pessoas acima dos 45-50 anos, que apresentam vários sinais de envelhecimento e o tratamento visa um resultado harmônico, tratando, portanto, os três terços da face. O que inclui cirurgia de pálpebras, elevação do terço médio da face e a correção de flacidez no pescoço.

Tratar apenas um dos três terços da face é indicado apenas para pessoas mais jovens, geralmente abaixo dos 45 anos, e que possuem sinais de envelhecimento iniciais, sendo possível realizar procedimentos isolados, como apenas uma cirurgia de pálpebras (blefaroplastia) ou uma lipoaspiração da papada.

No caso do lifting facial, há apenas uma variação que é realizada em apenas uma das regiões do rosto, que é o lifting do terço médio, porém a indicação dele é rara e somente para pacientes mais jovens como já citado.

Sendo assim, para resultados satisfatórios em pessoas que já possuem sinais de idade e que desejam conquistar um rejuvenescimento, o mais indicado é o lifting facial geral, de forma a tratar os três terços do rosto de maneira equilibrada. Mas antes de qualquer decisão é fundamental uma avaliação com um cirurgião plástico, para que os resultados são só sejam satisfatórios, mas também naturais.

Fonte: Minha Vida