Notícias
  • Publicado em:09/06/2016

A fibrose é a formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo num local como parte de um processo de cicatrização. A fibrose é uma "cicatriz interna" que está presente em todos os locais operados, desde pequenos orifícios de lipoaspiração até grandes cirurgias de abdômen que se realizam descolamentos de pele. Portanto, se a fibrose for pequena e controlada, é absolutamente normal e faz parte da recuperação do corpo que passa por uma cirurgia. Infelizmente, não há um consenso sobre quem está mais propenso a apresentar fibroses após cirurgias plásticas.

Uma fibrose anormal costuma causar dor e deformar a região em que acontece. Mas, para saber se algo está errado precisa acompanhar de perto, fazendo o pós-operatório com o médico que operou.

Como tratar a fibrose?

O tratamento para fibroses anormais varia dependendo do local onde ocorre uma fibrose exagerada. Em uma lipoaspiração, por exemplo, a drenagem linfáticaajuda a minimizar a fibrose, pois retira o líquido acumulado na região operada. Quanto mais líquido retido, maior será o espaço "virtual" que o corpo deverá ocupar com cicatriz.

A fibrose pode ocorrer até em casos de rinoplastia, especialmente em pacientes com pele grossa que não tem uma capacidade de retração cutânea. Nesses casos, o médico pode aplicar um medicamento para "acalmar e dissolver" a fibrose. Sempre deve ser feito por um médico especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica pois a aplicação errada pode trazer complicações estéticas ainda piores.

Tratamentos estéticos, como ultrassom estético, carboxiterapia, drenagem linfática e endermoterapia podem ajudar na redução dessa fibrose, principalmente quando ela for recente, ou seja, tiver menos de um mês.

Quando a fibrose causa dor ou deformidade, como em casos de abdominoplastia, o cirurgião pode fazer um procedimento para liberar as aderências da cicatriz interna, o que ajuda mais no resultado final.

Fonte: Minha Vida